quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O amor

Hoje estou aqui novamente, tentando escrever algo sensato sobre o amor. É, eu sei, não faz sentido, não há como encontrar sensatez em algo desprovido dela. Mas enquanto eu viver, vou procurar entender algo que tanto almejo e algo que acredito ter intensamente, assim como acredito que todos o tenham. Ah, o amor.
É tão lindo, tão complicado, tão repulsivo, e tão querido. Vai entender.
Aquilo que colhi em alguns anos de vida não me são suficiente para realmente poder dizer com convicção certas coisas, e o que irei expor aqui é de total opinião pessoal.
Sem enrolações.
                         O AMOR.
O amor é um sonho acordado. É realizar coisas simples. É um abraço carinhoso em momentos tristes. É também um abraço sem motivo, é simplesmente abraçar. Amar é se doar inteiramente sem esperar nada em troca . O amor perdoa, não vê maldade, apoia e segue em frente. Amor é querer bem a outra pessoa mesmo que longe de você, amor maior é querer fazer o outro feliz.
O amor está presente em gestos simples e não somente em grandes feitos. O amor é como o desabrochar de uma rosa, embeleza a vida, faz bem à alma. O amor não acaba, nem diminui, é constante/crescente. O amor é o sentimento mais inexplicavel, contendo singelas explicações e diferentes interpretações.